Revista VeZ em Minas

Artigo técnico aborda tratamento de Tripanossomose Bovina

Educação Continuada

Palestra sobre gestação, parto e cuidados neonatais em cães é realizada com apoio do CRMV-MG

Conselho Ativo

Encontro sobre as INs 35 e 55 é realizado com o apoio do CRMV-MG em Patos de Minas

Saúde Pública

Presidente de comissão do CRMV-MG coordena ações de carrapaticida em equinos para controle da Febre Maculosa em Contagem

Revista V&Z em Minas

Artigo técnico aborda resposta de bovinos de corte ao tratamento de enfermidades podais

Em Pauta

21/03/2019

Responsabilidade Técnica em Supermercados

O Responsável Técnico (RT) é um profissional imprescindível para a sociedade. Uma de suas atribuições é atuar para a garantia da segurança alimentar dos consumidores, em comércios varejista e atacadista de alimentos de origem animal, como nos supermercados. A crescente demanda populacional por alimentos de origem animal têm evidenciado a importância dos médicos veterinários como responsáveis técnicos nestes estabelecimentos. A expectativa da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura é de que o país aumente em 40% a produção de alimentos de origem animal até o ano de 2050.

Atuando na área de Responsabilidade Técnica desde 2006, a médica veterinária dra. Valéria Del Bianco é Responsável Técnica em um supermercado varejista de grandes proporções. Ela sintetiza o trabalho desempenhado, de extrema relevância para a saúde dos consumidores. “Nós somos ligados ao quadro de segurança alimentar. Primeiramente, fazemos treinamento de pessoal que começa a trabalhar e que já está nas lojas. Trabalhamos ainda o controle de qualidade dos alimentos e fazemos inspeções diárias ligadas à higienização, aos procedimentos operacionais e aos documentos de vigilância sanitária”, explica a RT.

A qualidade dos produtos de origem animal está intrinsecamente ligada ao olhar apurado dos médicos veterinários que atuam como responsáveis técnicos nestes estabelecimentos. A relevância dos médicos veterinários como RT’s em supermercados é evidenciada conforme dados da Organização Mundial de Saúde, que apontam que cerca de 60% dos patógenos e 75% das enfermidades emergentes humanas são de origem animal. A médica veterinária explica que os produtos que chegam ao supermercado são inspecionados anteriormente, o que não os exime de uma segunda averiguação garantindo o bom estado do produto. “O médico veterinário é o responsável por manter a qualidade do produto e isso só acontece na construção de uma educação sanitária dentro do supermercado. Então, esse profissional é necessário para garantir que o alimento chegue até a mesa do consumidor com a melhor qualidade”, afirma. .

Boas Práticas de Produção

A atuação com RT em estabelecimentos com produtos de origem animal está ligada a Boas Práticas de Fabricação (BPF). As ações das BPF incluem recebimento, armazenamento, exposição de mercadorias, controle de pragas, limpeza e treinamento de pessoal, e passam diretamente pelas habilidades dos médicos veterinários. “Esta é uma área em que temos que nos atualizar diariamente. E quando o profissional se depara com essa realidade, ele precisa adequar o frigorifico, o laticínio, o entreposto de mel, de pescado, tudo isso dentro das lojas.”, finaliza dra. Valéria Del Bianco.