Consulta Pública | MAPA

Programa Nacional de Sanidade dos Equídeos

Consulta Pública | IMA

Normas para cadastro de Médico Veterinário responsável pela execução de vacinação contra brucelose

Consulta Pública | IMA

Exigências para recepção de matéria-prima previamente extraída pelo produtor rural em estabelecimentos de produtos de abelhas e derivados sob inspeção do IMA.

Edital nº 02/2022

Prêmio COFTOSA – Prêmio de Conscientização da Retirada da Vacinação contra a Febre Aftosa

Intoxicação de animais

Mapa determina recolhimento de petiscos caninos da marca Balance

Valor Bruto da Produção Agropecuária Mineira

04/10/2022

Valor Bruto da Produção Agropecuária Mineira indica recorde de R$ 137,7 bilhões em 2022.

O crescimento é de 11% em relação ao ano anterior, puxado pela valorização dos preços do café e da soja. A estimativa do Valor Bruto da Produção (VBP) agropecuária mineira indica o recorde de R$ 137,7 bilhões em 2022. A projeção, feita com dados acumulados no período de janeiro a agosto, aponta crescimento de 11% em relação ao ano anterior.

O VBP é um indicador que representa uma estimativa da geração de renda no meio rural e seu cálculo é feito pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), a partir de dados do IBGE, da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) e do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea/USP). Minas Gerais responde por 11,4% do VPB nacional e ocupa o 4° lugar no ranking dos estados.

Lavouras

Dentre os segmentos da agropecuária, as lavouras representam 68% do faturamento mineiro. Para este ano, a receita deve alcançar R$ 93,1 bilhões, alta de 18,5%. Já a receita do segmento pecuário deve alcançar R$ 44,6 bilhões e tem estimativa de queda de 1,8%.

Na avaliação do Superintendente de Inovação e Economia Agropecuária da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), Feliciano Nogueira, os resultados positivos do VBP, neste ano, se devem aos bons preços praticados no mercado, especialmente em relação ao café e à soja.

“A média dos preços do café, no período de janeiro a agosto deste ano, foi 66% superior na comparação com a média de preços do mesmo período do ano anterior. No mês de fevereiro de 2022, foi registrado a média mensal mais alta do período, chegando a R$ 1.485 a saca de 60 kg”, detalha o superintendente da Seapa.

Soja

A soja ocupa a segunda liderança no seguimento agrícola, com VBP estimado em R$ 22,6 bilhões e aumento de 6,3% em relação ao ano anterior. Além dos bons preços no mercado, este bom resultado se deve também à safra recorde, que deve alcançar 7,6 milhões de toneladas na safra 2021/2022, com crescimento de 8,1%, e aos altos preços praticados no mercado.

Cana-de-Açúcar

A cana-de-açúcar é outro produto que vem crescendo, no segmento das lavouras, com estimativa do VBP de R$ 12,8 bilhões e aumento de 22% em comparação com a safra passada. Segundo IBGE, para esse ano, a produção deverá crescer 6,7%, alcançando em torno de 74 milhões de toneladas.

Ainda dentro do segmento agrícola, é estimado crescimento do VBP a batata-inglesa (18%), banana (33%), tomate (20%), laranja (7%), algodão (11%), trigo (73%), mandioca (36%) e arroz (10%). E queda para o milho (0,6%), feijão (9,9%), uva (1,2%) e amendoim (15%).

Pecuária

A redução de preços das carnes bovina, suína e de frango provocaram a queda do valor da produção do segmento pecuário neste ano. Os produtos que se destacaram pela sua contribuição positiva foram: leite e ovos, com crescimento de 5,8% e 0,7% respectivamente. A receita deve chegar a R$ 16,6 bilhões para o leite e R$ 1,7 bilhões para ovos. O resultado positivo do leite se dá pelo elevado preço praticado no mercado, em função da menor oferta do produto no campo.

O faturamento bruto da carne bovina deve alcançar R$ 14,4 bilhões em 2022, registrando queda de 4,2% em relação ao ano anterior, devido ao baixo consumo da proteína, justificada pela redução do poder de compra da população, ocasionada pela alta inflação. A estimativa para o VBP do frango é de R$ 8,2 bilhões, 8,1% inferior ao valor do ano passado. Já para suínos a estimativa é de R$ 3,6 bilhões, decréscimo de 10,3%.